Nossas Sugestões

5 dicas para adaptar seu estabelecimento aos viajantes solo

5 dicas para adaptar seu estabelecimento aos viajantes solo

Por Redação Blog Gazin Atacado • 3/04/18

Nos Estados Unidos, uma em cada quatro pessoas pretende viajar sozinha em 2018! Foi o que revelou uma pesquisa feita pela MMGY, consultoria de marketing especializada em turismo e hospitalidade. E os viajantes solo também estão em alta no Brasil! Prova disso é o crescimento da busca pelo termo “viajar sozinho” nos últimos cinco anos:

viajantes solo - Google

E o que isso significa? Que cada vez mais viajantes solo deverão se hospedar em seu hotel ou pousada!

Você e sua equipe estão preparados para recebê-los?

Pensando em ajudá-lo nessa missão, apresentamos a seguir 5 dicas para adaptar seu estabelecimento aos viajantes solo. Elas têm como base cases de estabelecimentos atentos à essa tendência e podem inspirá-lo a melhorar a forma como você recebe esse perfil de viajante. Acompanhe!

Leia também: Como se preparar para receber o viajante solo

5 dicas para adaptar seu estabelecimento aos viajantes solo

1- Conte com a ajuda da tecnologia

viajantes soloDevido ao estilo de vida independente, viajantes solo costumam planejar suas viagens e entrar em contato com estabelecimentos hoteleiros fora do horário comercial.

Sabendo disso, muitos estabelecimentos estão recorrendo à inteligência artificial para sanar as dúvidas dos clientes instantaneamente e 24h por dia

Os chatbots utilizados pela Rede Marriott International, por exemplo, entendem linguagem natural. Ou seja, respondem perguntas sobre temas como:

  • Valor da diária.
  • Opções de quartos.
  • Horários de check-in e check-out.
  • Café da manhã.
  • Se o estabelecimento é ou não pet-friendly.
  • E assim por diante.

Essa é uma excelente forma de garantir que um possível cliente não troque seu estabelecimento pelo concorrente simplesmente porque vocês demoraram a respondê-lo. E como você deve imaginar, não é útil apenas para os viajantes solo, mas para qualquer possível hóspede!

Aprenda mais!

Está pensando em investir em chatbots, mas, antes disso, gostaria de entender melhor o funcionamento dessa tecnologia? Leia os seguintes artigos:

Tecnologia que ajuda e entretém

Além da utilidade prática, a tecnologia também pode ajudar a proporcionar uma experiência única na hotelaria. Um exemplo disso vem de um hotel no Japão que tem “dinossauros” no atendimento. Assista ao vídeo abaixo para entender.

Que tal?

Calma! Você não precisa replicar essa ideia em seu hotel/em sua pousada para usar a tecnologia a seu favor na hora de conquistar viajantes solo. No entanto, saber que isso existe e acompanhar tendências é fundamental para manter seu estabelecimento relevante.

Leia também:

2- Tenha quartos menores e áreas compartilhadas maiores

De acordo com Harry Wheeler, arquiteto e diretor da Group One Partners Inc., empresa de design na hospitalidade, uma das características dos viajantes da atualidade (especialmente dos que pertencem à geração conhecida como millennial) é que eles são particularmente atraídos por ambientes divertidos, enérgicos, mas pequenos.

cama de hotel

Nesse sentido, o especialista destaca que para atender essa mudança nas preferências de seus clientes, muitos estabelecimentos têm apostado em quartos “minúsculos”, o que é ótimo para mercados densos e ultraurbanos.

“Quartos pequenos permitem que mais viajantes sejam acomodados em um único hotel ou pousada, permite que as áreas comuns sejam maiores (como bares e restaurantes) e ainda manter o nível do preço das diárias elevado”, analisa.

Na prática

Wheeler conta que algumas grandes redes estão criando marcas que incorporam essa tendência. É o caso, por exemplo, da Marriott e do Hilton, que lançaram os hotéis Moxu e Tru, respectivamente.

“Esses micro-hotéis boutique oferecem aos hóspedes áreas divertidas e cheias de energia para que eles trabalhem e se divirtam, e opções de acomodação acessíveis, sem sacrificar estilo ou conforto, e um nível de consciência social que os consumidores de hoje anseiam”, detalha.

Olha só um exemplo de quarto do Moxy:

Moxy - by Marriott

E as fotos abaixo mostram como são as áreas comuns:

Moxy by Marriott

Moxy by Marriott

Que tal?

Em um artigo no portal Hotel News Now, Wheeler afirma que os millennials continuarão sendo a maior geração de consumidores nos Estados Unidos até 2050. No Brasil, o cenário não deverá ser muito diferente. Portanto, adequar-se às necessidades e preferências desses viajantes deveria ser obrigação.

De quebra, você atenderá também os viajantes solo, que muitas vezes só aparecem no hotel/na pousada na hora de dormir. Mas se você der motivos para ele aproveitar as áreas comuns do seu estabelecimento, pode inclusive aumentar o tícket médio de cada cliente. Pense nisso!

Leia também:

3- Aposte no poder do fator “social”

Viajantes solo podem até embarcar sozinhos para uma viagem, mas pode apostar: durante a jornada, eles buscarão se conectar com outros viajantes.

E não estamos falando apenas de interações “ao vivo”, mas também das trocas de recomendações e sugestões on-line.

Estudos apresentados pela Hospitalitynet apontaram que:

  • 89% dos viajantes globais consideram avaliações on-line importantes para decidir onde se hospedar.
  • 53% não reservam hotéis que não tenham avaliações.
  • 78% dos consumidores confiam em recomendações de outros viajantes. Por outro lado, apenas 14% confiam em publicidade.

Motivos suficientes para monitorar as avaliações sobre seu estabelecimento nessas plataformas, não? Afinal, dessa forma você entenderá no que pode melhorar para garantir a evolução no índice de satisfação de seus hóspedes.

Além disso, é possível utilizar essas ferramentas para entender o que os hóspedes enxergam como valor em outros estabelecimentos. Ou seja, aquilo que os usuários da plataforma avaliam como pontos positivos são excelentes pontos a serem priorizados na gestão do seu hotel.

Leia também:

4-  Valorize o bleisure

Essa é outra tendência em destaque no setor hoteleiro.

O termo nada mais é do que a junção das palavras em inglês business (negócios) e leisure (lazer). Trata-se do público que aproveita uma viagem de negócios para adicionar algumas atividades para conhecer o local.

Como mostramos num artigo sobre bleisure aqui no blog, 64% dos viajantes a trabalho acabam aproveitando o momento para combinar atividades de lazer.

Pensando especificamente nos viajantes solo, sua preocupação deve ser transformar a estadia do hóspede o mais confortável possível. Afinal, geralmente esse público tem mais flexibilidade para alterar itinerários e estender o período. Eventos ocorrendo na cidade ou mesmo no hotel podem influenciar a decisão sobre o tempo de estada desse público.

Além disso, é importante lembrar que dentro desse comportamento negócio+lazer podem estar os nômades digitais. Ou seja, pessoas com um estilo de vida flexível, que não dependem de estar em um lugar específico para exercer seus trabalhos. Este é um perfil de profissional que vem crescendo bastante nos últimos 10 anos.

Na prática

Dar boa estrutura e conforto para que esse público se sinta a vontade para trabalhar, principalmente uma boa conexão de internet, pode ser chave para atrair esse público. Sabendo disso, hotéis estão transformando áreas comuns em verdadeiros coworkings.

É o caso, por exemplo, do hotel Kimpton Eventi, de Nova York, que transformou seu lobby num espaço de coworking.

kimpton eventi

kimpton eventi

A estrutura não conta apenas com espaço para quem quer trabalhar, mas também uma cafeteria, uma casa de sucos e três restaurantes. Tudo faz parte de um ambiente que inspira o trabalho e a conexão de pessoas.

kimpton eventi

5 – Promova experiências “compartilháveis”

No filme Na natureza selvagem, há uma passagem em que o personagem principal diz:

“A felicidade só é verdadeira quando compartilhada.”

Essa frase resume muito bem o pensamento contemporâneo e está extremamente alinhada ao que vivem os viajantes solo. Afinal, eles não querem apenas viver bons momentos, querem poder compartilhar esses momentos com seus amigos via redes sociais. Assim, mesmo sozinhos, sentirão-se acompanhados,

Portanto, invista em locais para fazer fotos, vídeos, lives etc. Isso fará com que as experiências vividas aí sejam espalhadas pela web e, de forma viral, você ganhará marketing gratuito!

Pequenos mimos, como dobraduras de toalhas em forma de elefante, por exemplo, também podem gerar essa “mídia espontânea”. Da mesma forma, você pode pensar em estratégias elaboradas, como criar uma área de selfie, promover eventos interessantes e assim por diante.

O que acha?

Leia também:

Saiba mais

Recentemente, entrevistamos Denise Tonin, criadora do blog Viajante Solo. Se você quer entender melhor o perfil dos viajantes solo, não pode deixar de visitar o blog da Denise e de ler a entrevista que fizemos com ela:

Como se preparar para receber o viajante solo

Dessa forma, você estará se capacitando para atender melhor esse público tão importante para o sucesso do seu estabelecimento.

Sucesso!

Quer mais novidades Gazin Atacado? Curta nossa página!


0 | Deixe seu comentário
Recomende este post: 1
Compartilhe:

Fique atualizado com o mercado.
Receba os artigos do Blog do Varejo por E-mail.

Temas relacionados

Post Relacionados

0

comentários em "5 dicas para adaptar seu estabelecimento aos viajantes solo"

Comentar

Em destaque no Blog do Varejo