Nossas Sugestões

Análise do e-commerce no Brasil em 2015

Análise do e-commerce no Brasil em 2015

Por Redação Blog Gazin Atacado • 5/04/16
  • Em 2015, apenas no Brasil, 39,1 milhões de consumidores virtuais compraram pelo menos uma vez pela internet – um aumento de 3% em relação ao ano anterior.
  • Ao todo, o e-commerce brasileiro movimentou R$ 41,3 bilhões no ano passado, apresentando um crescimento de 15,3% em comparação ao montante de 2014.

Dados impressionantes, não é mesmo?

Essas estatísticas fazem parte do estudo Webshoppers, um dos relatórios mais sólidos e respeitados sobre o comércio eletrônico.

Avaliamos essa pesquisa e reunimos neste post os principais dados do e-commerce no Brasil, para que você entenda o poder dessa incrível plataforma de venda e convença-se da importância de começar a olhar para ela com mais carinho. Confira a seguir os principais destaques!

Aumento do ticket médio das compras

O ano de 2015 não foi fácil economicamente no Brasil. Para começar, a inflação chegou a 10,67%. Com isso, os preços do comércio eletrônico também sofreram alterações, com um aumento de 8,94% em relação a 2014. Como consequência, houve uma considerável diminuição de compras por parte da Classe C – que vinha impulsionando as vendas online nos últimos anos. 

> Em dezembro de 2013, a participação da classe C no comércio eletrônico era de mais de 54% das compras online, no mesmo período de 2015, houve redução para 39%.

Mas, por outro lado, houve um aumento de 12% no tíquete médio do comércio eletrônico – impulsionado tanto pelo crescimento no consumo entre o grupo de consumidores com maior poder aquisitivo, como, também, pelo aumento dos preços. Confira a evolução:

tiquete medio

Frete grátis x pago

Outro ponto importante a se observar diz respeito à logística de entrega das compras virtuais. Até o primeiro semestre de 2014, as lojas online operavam, em sua maioria, com frete grátis, como uma forma de atrair os consumidores. Mas, desde então, esse cenário mudou:

> No primeiro semestre de 2015, a maioria das vendas no e-commerce (56%) foi realizada com frete pago; no último semestre deste ano, esse índice chegou a 60%.

De acordo com os especialistas responsáveis pelo relatório, isso mostra que o mercado online brasileiro deve acompanhar o modelo de frete de mercados mais amadurecidos, como os dos EUA e da Europa, onde há diferentes opções de pagamentos e condições. Se o cliente quiser receber mais rápido, terá que pagar um pouco a mais por isso.

Produtos mais vendidos

Entre as categorias de produtos mais vendidos, destaque para Moda e Acessórios, no primeiro lugar, e Eletrodomésticos e Telefonia/Celular, em segundo e terceiro lugares, respectivamente. No entanto, enquanto a venda de Moda e Acessórios apresentou uma queda no volume de pedidos em relação a 2014, as compras online de Eletrodoméstico cresceram 27%, e as de Telefonia/Celular, 45%.

mais vendidos

Já em relação ao faturamento, em 2015, o ranking com o maior volume ficou assim:

  • 1º lugar: Eletrodomésticos
  • 2º lugar: Telefonia/Celulares
  • 3º lugar: Eletrônicos
  • 4º lugar: Informática
  • 5º lugar: Casa e decoração

Dispositivos móveis 

  • mobile commerceAo todo, o e-commerce brasileiro faturou cerca de 5 bilhões em vendas via dispositivos móveis em 2015 – representando 12% do faturamento total do comércio eletrônico neste ano.
  • Em 2015, o acesso via dispositivos móveis a lojas virtuais foi de 35%. Ou seja, em mais de 1/3 do tempo em que os consumidores navegam pelo varejo online, eles estão utilizando smartphones ou tablets para isso.
  • Dezembro de 2015 bateu o recorde de participação de compras via dispositivos móveis, que foram responsáveis por 14,3% do volume total de pedidos do comércio eletrônico.

Multicanal

  • 35% dos consumidores não costumam pesquisar o produto em uma loja física antes de finalizar a compra no ambiente virtual. Porém, 32% disseram que quase sempre pesquisam pelo item em alguma loja física antes de comprá-lo.
  • 36% dos consumidores afirmaram que sempre pesquisam o produto pela Internet, via smartphone, no local de compra (31% disseram que quase sempre fazem isso).
  • Algumas grandes lojas de varejo, com forte presença online, implementaram o processo conhecido como pick-up on store, por meio do qual o consumidor pode retirar produtos comprados pela internet nas lojas físicas – 30% dos entrevistados disseram já ter comprado por meio desse processo.

Confira a seguir o infográfico com o perfil completo dos compradores online no Brasil:

 ecommerce brasil 2015

Para ter acesso ao relatório Webshoppers completo, acesse: http://www.ebit.com.br/webshoppers

Gostaria de fazer parte dessas estatísticas e começar a atuar no comércio eletrônico? A Gazin pode ajudá-lo a dar os primeiros passos no e-commerce. Ao aderir o programa Parceiro Gazin, você poderá ter sua loja na web de forma fácil e prática e vender online usando o estoque da Gazin. Para saber mais CLIQUE AQUI.

–> Neste post, apresentamos uma história de sucesso de um Parceiro Gazin. Leia e entenda como a Gazin e a sua loja podem trabalhar juntas para fazer você se destacar na internet!

Quer mais novidades Gazin Atacado? Curta nossa página!


0 | Deixe seu comentário
Recomende este post: 0
Compartilhe:

Fique atualizado com o mercado.
Receba os artigos do Blog do Varejo por E-mail.

Temas relacionados

Post Relacionados

0

comentários em "Análise do e-commerce no Brasil em 2015"

Em destaque no Blog do Varejo