fbpx

Nossas Sugestões

O que esperar do cenário econômico para o Natal e para 2017

O que esperar do cenário econômico para o Natal e para 2017

Por Redação Blog Gazin Atacado • 11/11/16

A verdade é a seguinte: depois de um ano difícil para o varejo, a chegada do Natal traz bons ventos para os lojistas. A economia começa a dar sinais de recuperação e o aumento no movimento nas lojas traz a energia positiva que tanto fazia falta.

Colabora para o otimismo, também, o inevitável crescimento nas vendas que a grande data comemorativa do ano deve trazer. Na comparação com os meses anteriores, dezembro deve ser espetacular!

expectativas-varejo-natal-2016-6Porém, ao mesmo tempo, se formos comparar com os resultados do mesmo período do ano passado, o faturamento do Natal em 2016 não deverá apresentar um forte crescimento, pois o país ainda se recupera da crise econômica. E esse olhar mais atento pode deixar os varejistas um pouco frustrados.  

É o que aponta Marcela Kawauti, economista-chefe do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito). “Ainda vemos o consumidor em uma situação complicada do ponto de vista do orçamento, por conta de fatores como desemprego e inflação alta”, explica.

Sinais de recuperação

No entanto, o cenário econômico começa a, moderadamente, indicar uma possível evolução. Em setembro, por exemplo, a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), apurada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), registrou a maior alta mensal desde 2010, com aumento de 4,1%. “A comparação com agosto mostra que existe uma percepção de que a crise vem perdendo força lentamente, com suave desaceleração da inflação e retomada gradual da confiança de consumidores e empresários”, avalia Juliana Serapio, assessora Econômica da CNC.expectativas-varejo-natal-2016-3

Marcela Kawauti, do SPC, afirma que estamos vivendo um momento importante e que essa retomada da confiança – tanto do consumidor quanto do empresário – é essencial para a efetiva recuperação. Estamos atualmente em uma fase da estabilização da economia – ou seja, paramos de piorar na maior parte das variáveis. Os sinais de recuperação que de fato vemos ainda são sinais que partem da confiança. Esse é o primeiro passo para que possamos recuperar”, aponta.

A economista destaca que depois desse fortalecimento da confiança, aí sim será possível prever um crescimento concreto nas vendas. “Temos agora essa fase de estabilização com a recuperação da confiança do consumidor e do empresário. Em um segundo momento, o empresário vai voltar a contratar. Então, com mais emprego, o consumidor deve voltar a consumir”, frisa.

Uma luz no fim do túnel de 2016

expectativas-varejo-natal-2016-8Sendo assim, se esse cenário de fortalecimento da confiança do mercado se mantiver, os lojistas podem esperar um 2017 mais positivo, de acordo com a economista. Ela ressalta que há previsão de crescimento nas vendas para o ano que vem – mesmo que seja uma melhoria lenta. “Tivemos uma queda muito forte nos últimos dois anos e meio, então a recuperação não vai ser rápida. Portanto, dá para ter uma expectativa mais positiva para o ano que vem, mas a melhora vai ser gradual”, pondera.

Black Friday deve ajudar a movimentar as lojas neste fim de ano

Além do Natal, outra grande oportunidade de aumentar as vendas na reta final de 2016 ser a Black Friday. A ocasião é promissora especialmente para as empresas que atuam com comércio eletrônico. De acordo com um estudo realizado pela Google Brasil, a expectativa é que as vendas no e-commerce nesse período aumentem de 20% a 30% neste ano em relação ao ano passado.

Mas Marcela alerta que muitos consumidores ainda veem as promoções de Black Friday com certa desconfiança e que os lojistas precisam atuar no sentido de passar credibilidade em suas ações nessa data. “O consumidor tem medo de cair naquela história de pagar ‘a metade do dobro’. O lojista, sabendo disso, precisa mostrar que de fato o desconto da Black Friday é interessante para o cliente”, aconselha.

expectativas-varejo-natal-2016-2Dessa forma, completa a economista, além de atrair o consumidor para sua loja, o lojista ganhará a confiança dos clientes neste momento, o que não apenas ajuda a fechar vendas “hoje”, como também colabora para aumentar a base de clientes fiéis.

Clique aqui e confira nosso guia prático para vender mais e fidelizar clientes na Black Friday.

3 dicas para atrair e fidelizar clientes nesse Natal

Com tudo isso em mente, a economista do SPC dá algumas dicas para os lojistas que querem aproveitar a movimentação do Natal para vender mais e conquistar mais clientes para o ano inteiro. Acompanhe!

1) Entenda o momento do consumidor

Marcela explica que os consumidores estão vivendo um momento de orçamento mais limitado e que, se quiserem atrair clientes, os lojistas precisarão entender esse contexto e adaptar suas ofertas ao perfil atual de seus compradores.

expectativas-varejo-natal-2016-5Se a pessoa sinaliza que não está disposta a gastar um valor muito alto, a economista recomenda que a loja esteja preparada para se adequar a essa necessidade. “Oferecer embalagem menores, migrar dos itens premium para os mais básicos, por exemplo, são ações que podem fazer com que o consumidor encontre um produto que caiba no seu orçamento nesse momento econômico e priorize a compra em sua loja”, salienta.

Dica: mesmo que o cliente esteja em um momento de economia e compre apenas produtos de menor valor, ainda assim é importante se preocupar em atender as necessidades dele. Dessa forma, quando o orçamento dele for maior e ele precisar fazer uma compra de alto valor agregado, ele vai voltar e comprar novamente com você – além de indicar sua empresa aos amigos. Portanto, não desmereça um cliente simplesmente pelo que ele pode comprar hoje. Talvez, amanhã, ele faça a diferença nos seus resultados!

2) Faça o cliente se sentir à vontade

Marcela aconselha que além de fazer o cliente comprar na sua loja nesse Natal, é importante se preocupar em buscar fidelizá-lo, justamente levando em consideração a dica anterior. Ela explica que o atendimento é a principal ferramenta do lojista para isso e que é possível conquistar o cliente com detalhes que não custam caro.

expectativas-varejo-natal-2016-4Cuidar da disposição dos produtos para que seja fácil para o consumidor andar e se localizar na loja, por exemplo, é fundamental para conquistar o consumidor. Basta você se colocar na posição do seu cliente para entender isso. “Muitas vezes vamos a lojas que até têm bons produtos, mas em que tudo está muito bagunçado. No fim, não conseguimos achar nada e acabamos indo embora sem comprar”, comenta.

Dica: quer aprender mais sobre como a disposição de produtos pode ser sua aliada nessa data? Clique aqui e confira o artigo que apresenta 14 dicas para usar o merchandising para vender mais neste Natal.

3) Treine sua equipe de vendas

Se o atendimento é questão crucial para vender mais – não só no Natal, como em todas as ocasiões –, investir na capacitação dos colaboradores é indispensável.

expectativas-varejo-natal-2016-1“É preciso treinar a equipe para que os vendedores saibam mostrar os produtos para o consumidor, para que consigam entender o que o cliente quer. Isso pode ser feito com custo baixo e pode fazer uma grande diferença lá na frente”, indica Marcela.

Dica: clique aqui e confira o artigo que ensina maneiras de treinar sua equipe de vendas sem gastar muito.

E aí, vai começar a agir?

Boas vendas!

Imagens: Freepik

Quer mais novidades Gazin Atacado? Curta nossa página!


2 | Deixe seu comentário
Recomende este post: 7
Compartilhe:

Fique atualizado com o mercado.
Receba os artigos do Blog do Varejo por E-mail.

Temas relacionados

Post Relacionados

2

comentários em "O que esperar do cenário econômico para o Natal e para 2017"

Comentar

Em destaque no Blog do Varejo